1 comentários

Carta de apoio - Calhev

quinta-feira, 5 de julho de 2007

CARTA ABERTA A COMUNIDADE


O Centro Acadêmico Livre de História Eunaldo Verdi (CALHEV), entidade representativa dos estudantes universitários de História na Universidade da Região de Joinville (UNIVILLE), vem através dessa carta aberta apresentar seu posicionamento contrário ao aumento de passagem do transporte coletivo na cidade de Joinville-SC.
A alteração sugerida pelas empresas Gidion e Transtusa para o aumento da passagem, que de acordo com a mídia local "passaria de R$ 1,95 para R$ 2,18 e o vendido dentro do coletivo de R$ 2,40 para R$ 2,73.", a qual o Prefeito Marco Tebaldi é responsável direto pela sua aprovação, é inaceitável por dois motivos principais. Primeiro inviabiliza economicamente o acesso dos estudantes universitários ao campus, visto que além de gastos com transportes existem outros como mensalidades (R$ 502,00 uma das com preços mais baixos), alimentação, livros, cópias de textos e afins. Também deve ser lembrado que esse percentual de ajuste da tarifa não acompanha a realidade do aumento salarial dos trabalhadores joinvillenses, alargando ainda mais o arrocho salarial, contribuindo por uma menor qualidade de vida.
O processo de reajuste do valor das passagens em nossa cidade é caracterizado por medidas pouco democráticas. As empresas fazem a solicitação a Secretaria de Infra-estrutura Urbana de Joinville (SEINFRA) e o Prefeito Marco Tebaldi, se concordar, assina. Historicamente diversas entidades e movimentos sociais fomentam uma reflexão sobre a abertura com a comunidade da discussão acerca do processo de aumento das passagens, desde uma ponderação e deliberação da Câmara de Vereadores/as à criação de um Conselho Municipal de Transporte Coletivo, ampliando assim as relações democráticas na sociedade joinvillense.
Outro ponto importante é o momento oportuno às empresas do encaminhamento do processo de reajuste da passagem, sendo em período de recesso escolar do ensino fundamental, médio e universitário. Desse modo, fica evidente a postura de fuga do dialogo com o movimento estudantil, um dos principais setores que sofrerá as conseqüências desse possível aumento. Em razão disso, torna-se essencial essa mobilização dos/as estudantes do curso de História da UNIVILLE, como também dos demais cursos universitários, tanto dessa instituição como de outras faculdades da cidade, sem esquecer os estudantes da rede Pública e Privada.
Desse modo buscamos por meio dessa carta chamar a atenção de todos os estudantes e toda comunidade de Joinville, sobre a necessidade de um debate e da participação efetiva nas mobilizações em seus bairros, em suas escolas e nas ruas. Assim, vamos encaminhar o que for necessário para elevar nossas vozes de contestação e reflexão sobre mais um aumento de passagem em nossa cidade.
Centro Acadêmico Livre de História Eunaldo Verdi (CALHEV)
Gestão Unimultiplicidade

1 Responses:

Aprasc Says:

A Aprasc (associação de Praças de SC), entidade que representa os Praças da Policia e do Corpo de Bombeiros Militar de SC e o Dep. Est. Sargento Amauri Soares, vem a público externar todo o seu apoio à luta da população de Joinville, capitaneada, neste momento pelo MPL contra mais um aumento de passagem do ônibus em Joinville.
Entendemos que as manifestações são legítimas, democráticas e necessárias, no sentido de evitar que a população que depende do serviço de transporte seja prejudicada com mais um reajuste. Nossas obrigações como policiais militares não podem, de maneira alguma, servir de pretexto para fecharmos os olhos para essa atitude que vai dificultar o direito de ir e vir dos cidadãos joinvilenses. Pelo contrário, como trabalhadores que somos temos obrigação de sermos solidários com a classe trabalhadora e com os estudantes da maior cidade do estado. Torcemos para que a classe política de Joinville tenha o bom senso de impedir que os milhares de usuários do transporte público sejam castigados em benefício de apenas duas empresas.
A pretensão de reajuste é absurdamente superior à inflação registrada no período e também maior que os aumentos conquistados pelas diversas categorias dos trabalhadores que dependem do transporte coletivo do município.

Sd Elisandro Lotin de Souza
Vice - Pres da APRASC – Reg Norte
Assessor do Dep Est Sargento Amauri Soares